Canção de mariliense está no filme Bacurau, o vencedor de Cannes

 Publicado por Nosso Quintal    16 de setembro de 2019.

Um dos mais celebres marilienses, Sérgio Ricardo, está novamente em alta devido sua música estar na trilha sonora do filme Bacurau, dirigido pela dupla Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. A canção “Bichos da Noite” está presente no western brasileiro. Um filme de aventura e ficção cientifica que se passa no sertão do país.

A composição do disco “A Grande Música de Sérgio Ricardo” (1967) é assinada também por Joaquim Cardoso. O filme foi escolhido como vencedor do Prêmio do Júri de 2019 no Festival de Cannes, na França, e vencedor de melhor filme no Festival de Munique, na Alemanha.

Nascido no dia 18 de junho de 1932, o mariliense é um dos fundadores da bossa-nova, iniciou o movimento da canção de protesto no país, passou pelo Teatro do Oprimido e o Cinema Novo, desde a década de 60.

Poeta, roteirista, compositor, diretor de cinema, artista plástico, premiado dentro e fora do país. Sérgio Ricardo segue morando no Rio de Janeiro e sendo considerado uma referência na história do país.  

Na música, Sérgio Ricardo influenciou toda uma geração de artistas. Participou do famoso concerto do Carnegie Hall, sempre voltado para a problemática social nas raízes mais profundas do povo brasileiro, participativo politicamente notadamente contra a ditadura militar. Desta lavra, destacam-se canções que marcaram época, como “Zelão”, “Calabouço”, “Esse mundo é meu” e “Conversação de paz”.

Bacurau

Um filme de aventura e ficção científica. Bacurau, um pequeno povoado do sertão brasileiro, dá adeus a Dona Carmelita, mulher forte e querida por quase todos, falecida aos 94 anos.

Dias depois, começam os sinais de que a tranquilidade de Bacurau estará sob ameaça. No entanto, ninguém contava com um detalhe: que no passado desse lugar extraordinário estava adormecido um talento especial para a aventura. Veja o trailer [Clique aqui]

Cinema

Entre seus filmes destaca-se “A noite do espantalho”, filme musical extremamente cultuado que lançou as carreiras de Alceu Valença e Geraldo Azevedo, exibido e premiado na Quinzena dos realizadores de Cannes em 1974 e no Festival de cinema de New York. Seu filme anterior, ”Juliana do amor Perdido”, concorreu ao urso de ouro no festival de Berlim de 1970.

“Esse mundo é meu”, de 1964, foi considerado pela revista francesa Cahiers du Cinema como um dos 5 melhores longas metragens produzidos em todo o mundo nesse ano. E seu filme de estreia, ”Menino da calça branca” é um dos principais marcos fundadores do Cinema Novo.

É de Sérgio Ricardo a trilha sonora de “Deus e o diabo na Terra do sol”, “Dragão da maldade contra o santo Guerreiro” e “Terra em Transe”, importantes filmes de Glauber Rocha.

Nosso Quintal
 
Portal de notícias sobre cultura e iniciativas realizadas em Marília e região.
Outros Artigos
Desenvolvido por