Melhores Panos e a ascensão dos brechós virtuais

 Publicado por Filipe Touca    11 de setembro de 2019.

Para quem não sabe, eu me aventuro com um brechó virtual (@tremazulbrecho) também, e esses dias atrás estava visitando diversos brechós da cidade com o objetivo de pegar peças para revender no meu brechó, foi quando dei de cara com uma peça que sempre foi um sonho de consumo desde minha adolescência, uma jaquete da parceria da NBA com a Starter do time do Charllote Hornets da década de 1990. Essa jaquete é vendida por R$500 no Mercado Livre, nunca tive coragem de pagar isso por mais que sonhasse com ela, até que nesse dia deparei com ela por R$30 reais em um brechó.

O consumo de produtos provenientes de brechó vem crescendo, afinal de contas, porque gastar tão caras em roupas ‘novas’ vintage se você pode adquirir produtos originários da época por um preço muito mais acessível? Os brechós virtuais, ou seja, pessoas que vendem produtos usados em alguma plataforma digital, sobretudo no instagram vem crescendo. Em Marília, existem alguns destes tipos de brechó, e um deles é o Melhores Panos, brechó que reside no instagram e que possui nada mais e nada menos do que 60 mil seguidores.

Entrevistamos [Nosso Quintal] a Ingrid Thainá, de 26 anos, residente de Marília, a idealizadora do Melhores Panos, que nos contou um pouco da trajetória do brechó, que de um simples hábito de alguns familiares se tornou a sua profissão.

O brechó teve origem em 2017, mas antes disso, Ingrid conta que sua mãe, sua tia, e as amigas da sua mãe, sempre tiveram o hábito de consumir produtos provenientes de brechó, o que fez com que tal hábito já permeasse a sua vida. Porém, Ingrid nos contou que em determinada época de sua vida, ela se tornou extremamente consumista de lojas de rede, o que fez com que ela tivesse uma grande dívida com elas. Ao quitar essa dívida, ela passou a se questionar o porque de gastar tanto dinheiro em roupas de lojas de rede, se ela poderia gastar tão menos com roupas tão lindas em brechó, e foi quando ela se apaixonou pela cultura dos brechós.

Com o tempo as pessoas começaram a perguntar onde ela comprava as peças de roupas que ela usavam, dai ela dizia que comprava em brechós, e as pessoas ficam espantadas com aquilo, pois não acreditavam que era possível estar bem vestido com roupas de brechó. Foi então o momento que surgiu a ideia de montar um brechó virtual. Segundo ela, o começo foi muito difícil por não possuir pouca habilidade com internet, redes sociais e principalmente em tirar fotos, o que hoje até deixa ela um pouco com vergonha de seus primeiros posts (hehe).

Na época Ingrid, ainda trabalhava como professora, o que fez com que não tivesse tempo para se dedicar exclusivamente ao brechó. No mesmo período, sua irmã, Carol, estava desempregada, e então resolveram trabalhar juntas no brechó. Nesse momento, o primeiro salto foi dado pelo Melhores Panos. A Carol auxíliou sua irmã a melhorar a qualidade e forma de bater fotos, a divulgação da página em outras páginas de brechós pelo país, e com isso, o número de seguidores foram aumentando.

Com o tempo, sua irmã Carol conseguiu um emprego, o que fez com que não tivesse mais tempo para auxiliar no brechó, Ingrid por sua vez, não estava se sentindo satisfeita com seu trabalho, resolveu larga-lo e dedicar exclusivamente ao brechó, que na época possuía 6 mil seguidores (Fevereiro de 2019).

Ingrid conta que foi um período difícil do qual ela teve que superar as limitações tanto pessoais quanto do péssimo celular que possuía, e passar a trabalhar de forma mais conceitual com seu brechó, destacando que a foto e o look montado são os pontos chaves que chamam atenção das pessoas que a seguem, afinal de contas, muitas destas também buscam inspiração para montar seus looks no instagram do Melhores Panos.

Com o tempo, passo a passo, foi criando e descobrindo métodos que ajudaram a impulsionar o Melhores Panos: frequência de postagem, horário para postagens, um cantinho na casa mais bonito para bater foto, procurar melhores formas de tirar as fotos, pensar nos looks e etc. E foi acontecendo que o número de seguidores subia cada vez mais, e do qual, segundo ela, nunca colocou nenhum dinheiro no instagram para impulsionar suas publicações, tudo naturalmente. Atingindo hoje a marca de quase 60 mil seguidores, e se tornando o trabalho e a renda da Ingrid, apesar de que, como relata, viver 24 horas conectada ao celular.

Gostou?! Segue o Melhores Panos lá no Instagram: @melhorespanos

Filipe Touca
 
Estudante de Ciências Sociais, cristão, esquerdista, colecionador de vinil e amante das artes - "Só existe dois gêneros de música: música boa e música ruim".
Outros Artigos
Desenvolvido por