Arte, Cultura, Entretenimento e Informação

A História de Krêo Fidélis

Através de um bate-papo com um músico da noite, Krêo Fidélis falou das principais dificuldades de artistas independentes no interior. Em processo de gravação de um disco autoral que será disponibilizado em plataformas digitais, o educador musical ministra aulas em escolas públicas e particulares de Marília.

Sua primeira experiência com um instrumento musical foi acompanhado de um cavaco. Para Krêo, a música está presente em sua vida como uma “simbiose”. “Eu me considero músico desde o nascimento. O ambiente familiar sempre me proporcionou o contato com a música”, afirmou.

Artista completo, Krêo desenvolveu um projeto chamado “Krêo Fidelis e a Banda Imaginária”, onde o músico apresenta sua versatilidade, tocando pelo menos cinco instrumentos em covers e musicas autorais. O músico levou sua banda imaginária para muitas edições da Virada Cultural Paulista de Marília.

kreovirada

A “banda de um homem só” começou a se formar em 1984, quando Krêo pode se especializar em muitos instrumentos, aos 12 anos. “Na época eu pensava mais em futebol, como qualquer garoto. Quando eu cheguei em Marília, conheci a Banda do Senac, onde aprendi tocar instrumentos de percussão e melódicos.  Após esse contato com a música, fui aprofundando os conhecimentos na área, participando de bandas com amigos e permaneci no cenário musical”.

Semanalmente Krêo se apresenta em bares e restaurantes de Marília. Com um repertório variado, o artista faz uma releitura dos clássicos da música brasileira. “Tenho mais afinidade com a MPB. Por sempre ter presenciado na minha casa e porque é uma língua que entendo e que posso traduzir melhor meus pensamentos e sentimentos”, revelou.

Em um processo de síntese da vida e carreira, Krêo está trabalhando na produção de um disco autoral. “Eu estou gravando. Mas não é fácil para quem não é protegido da grande mídia. Em breve, lançarei minhas canções nas plataformas digitais”. As imposições estéticas da mídia estão influenciado diretamente na produção dos artistas. “Se por um lado, temos maior acesso aos instrumentos e equipamentos musicais dos mais variados e também temos facilidade de conhecer os trabalhos de outros artistas, por outro lado, é inegável que passamos por um momento de falta de criatividade e talento. Atualmente, a grande mídia impõe determinado tipo de música ao público e o restante é relegado ao limbo, resultando no enfraquecimento do ambiente cultural como um todo”, revelou o músico, referindo-se as dificuldades da carreira.

Krêo falou sobre um dos momentos engraçados na carreira, quando em uma competição de música o artista teve medo. “Eu participava de um festival no qual representava a região de Marília. Quando as torcidas dos outros participantes se manifestavam, o que era ensurdecedor. Eu rezava para não chegar a minha vez. Foi quando o apresentar falou: – CADÊ A TORCIDA DE MARÍLIA!!! – . Mas levantou apenas um amigo, nesse dia ele me levou de carro até o teatro onde acontecendo festiva [risos]”.

teatrokreow

Como educador musical, Krêo pode se manifestar e receber toda sensibilidade de seus alunos. “Exerço minhas atividades junto às crianças, desenvolvendo nos pequenos a capacidade de pensar, sentir e fazer música. Também ministro aulas de instrumentos de corda, com método próprio de ensino, o qual parte do interesse do aluno, o que torna a aula mais leve e de fácil compreensão”.

Questionado se existe algum sonho para a carreira, Krêo foi sincero ao responder que o seu desejo também é de outros músicos. “O sonho de todo músico: que a minha música não conheça fronteiras e alcance a todos”, finalizou.

 

Imprimir

Comentários